Uma família com base sólida, onde os princípios e valores transparecem em cada ato dos seus. Uma empresa familiar, onde os princípios e valores transparecem em cada ato dos seus.

Esse é o segredo para a construção de hoje uma empresa conhecida mundialmente: Jacto.

Com uma trajetória construída aos poucos e com a participação de gerações da família Nishimura na administração, a Jacto se mantém forte e já está na gestão da 3º geração.

História da Jacto

Em 1948, foi criada a empresa familiar Máquinas Agrícolas Jacto. Situado na cidade de Pompeia, interior de São Paulo, o negócio começou com o viés desenvolvimentista e inovador. Isso porque seu fundador, o imigrante japonês Shunji Nishimura, tinha experiência em consertar equipamentos voltados para esse setor. Mas ele queria mais.

Nishimura sempre dizia: “ninguém cresce sozinho”. A partir dessa filosofia, a história da Jacto na América Latina cresceu junto com as pessoas. No começo, a empresa consistia em uma placa na frente da oficina do fundador. Nela estava escrito: “conserta-se tudo”.

Porém, o espírito empreendedor e a busca constante por oportunidades fizeram com que a Jacto ampliasse suas atividades. O primeiro produto foi uma polvilhadeira costal. Em 1963, a empresa exportou pela primeira vez. Na época, enviou um lote de pulverizadores costais para a Argentina. Já no final dos anos 1970, a empresa se destacou mundialmente por ser a primeira a lançar uma colhedora de café, a K3.

O projeto estimulou a criação do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Jacto. Esse foi apenas mais um dos passos rumo ao sucesso. Agora, após 70 anos, o propósito é continuar oferecendo aos agricultores as melhores tecnologias, serviços e informações.

Atualmente, a Jacto exporta para mais de 100 países e está presente nos cinco continentes. São:

  • 3 unidades fabris — Pompeia, Tailândia e outra na Argentina;
  • duas unidades comerciais — nos Estados Unidos e no México;
  • um centro de pesquisa;
  • quatro centros de distribuição;
  • três in-houses;
  • uma transportadora.

A presidência de Jorge Nishimura

Jorge Nishimura que esteve na presidência até maio de 2019 teve grande relevância enquanto esteve na liderança, foi ele quem deu sustentação para a governança familiar. Como a gestão era composta por familiares, havia alguns problemas naturais desse percurso.

Tratar dos conflitos, estrutura de governança corporativa, planejamento a logo prazo, foram questões coordenadas sob sua liderança. Hoje, a empresa consegue se manter com uma política familiar consolidada por conta de todo conhecimento transmitido e implantado por Jorge.

Efetivamente, para a 2º geração onde ele se encontra, um dos maiores feitos foram estruturar a paz dentro da organização. Para ele “paz é uma luta contínua e constante para eliminação de caos. Qualquer organização naturalmente tem certa tendência a caos. O que nós fizemos nesses anos todos foi estabelecer bases para que a gente conseguisse estrutura a paz”.  Ele avalia que ao fechamento do ciclo a gestão foi muito boa e deixou bons impactos.

Sensato e de extrema sensibilidade, ele explica que nascemos para cumprir um propósito e para trazer uma contribuição para a sociedade e que esse não é apenas ganhar dinheiro.

“Não tem razão a gente fazer alguma coisa só focando no dinheiro, a gente precisa fazer alguma coisa que traga a contribuição para a sociedade”.

O que é empreendedorismo para Jorge Nishimura?

“Empreendedorismo é a energia que está dentro, é como se fosse uma semente, uma energia que está depositada dentro de uma semente que tem um potencial, o empreendedorismo é fazer essa semente brotar e produzir frutos”.

A riqueza das palavras de seu Jorge, devem permanecer no coração de empreendedores que buscam se estabilizar.

Em mais um em meio de tantos ensinamentos, ele ressalta que as ações da empresa nunca começaram grandiosas, tudo começou sempre pequeno. Começar do zero e ir aprendendo com os avanços é o segredo da evolução da Jacto que hoje lidera o mercado de máquinas agrícolas do mundo todo.

Confira no vídeo a aula que ele dá sobre empreendedorismo.

Fonte: Blog Jacto