Destemida, disciplinada e sonhadora. Assim podemos definir Vera Gonçalves dos Santos Valera, uma mulher que sonha, vive e luta pelo que acredita: fazer o bem para si e para os outros.

Foi assim que há 36 anos, ela e seu marido, Valdemar Valera, começaram a construir sua vida empreendedora. Donos de loja de carros, lanchonete, vendedor de enxoval, e muitos outros lugares; foi esse o caminho por onde eles percorram até chegar ao que seria o início de uma longa e audaciosa jornada, a criação das Lojas MV.

Moradora de Osvaldo Cruz desde 1983 e nascida em Pacaembu, dona Vera, casou-se em 1985 e nos anos seguintes teve seus dois filhos, Matheus e Rafaela.

Sempre muito cheios de fé, o casal sempre se dispôs a trabalhar e não medir esforços. Em Osvaldo Cruz, sempre acreditaram no poder da cidade e encontraram aqui a oportunidade de crescer. Com uma visão empreendedora adquirida com experiências passadas, a abertura da loja deu certo porque ambos uniram suas forças.

“Ele tinha um potencial muito grande, e via que os dois juntos poderiam chegar mais longe. […] Então quando ele viu a facilidade que eu tinha e a experiência administrativa dele, a gente uniu o útil e o agradável e foi dando certo graças a Deus”

Deu tão certo que não pararam por aí, os segmentos da loja foram crescendo e suas filiais também. Cada passo dado por eles continha parte da humanidade que dona Vera carrega dentro de sim, eles sempre pensaram no seu próximo, clientes e funcionários, de forma a cuidarem como se fossem a própria família. Vender para ela é mais que uma transação financeira, é entregar o que o cliente precisa, o que ele pode ter, e assim ela explica como chegou tão longe.

“Nos empenhamos no tratamento da venda com o cliente, corpo a corpo, você conversar e descobrir a necessidade do nosso varejo, da pessoa que quer entrar na nossa loja pra comprar. E assim a gente foi trabalhando.”

Dessa forma ela também conseguiu construir uma rede de colaboradores que fazem seu negócio andar.

“Quando você tem uma meta que é melhorar a vida daquelas pessoas que trabalham com você então isso se torna interessante. É um desafio, então esse é o foco. Estar empregando pessoas, é não estar só pensando em você. O foco era esse, não por status, porque você está por cima, mas porque você está com prazer de fazer crescimento pessoal das pessoas.”

A construção empreendedora de dona Vera não foi fácil, entre ganhas e perda, em 2012 ela perdeu seu marido, Valdemar. Talvez esse tenha sido seu maior desafio durante todos os anos, como ela conta, existiu a vontade de parar com tudo, mas ao olhar a quantidade de pessoas que dependiam da sua força e seu profissionalismo, foram motivos que fizessem com que ela conseguisse se reerguer.

Dai em diante ela passou a contar também com ajuda de seus filhos, que após perder o pai, se uniram para dar andamento ao que juntos tiveram construído.

Mulher e empreendedora, ela revela seus segredos para se manter de pé: Deus, disciplina, amor e força de vontade.

Mais que empreender, é empreender com o coração, é colocar na ponta do papel as contas, o bem e a boa vontade, esse é o empreendedorismo de Dona Vera Valera.