A Jacto foi fundada por Shunji Nishimura, imigrante japonês que chegou ao Brasil em 1932, com 21 anos de idade, em busca de uma vida melhor.

Jiro é um dos sete filhos de Shunji. Em sua trajetória profissional ao lado do pai atuou como presidente das empresas Máquinas Agrícolas Jacto e Unipac, ambas pertencentes ao Grupo Jacto.

De origem pobre, Jiro Nishimura, teve uma infância próxima de seu pai e vivia conforme seus princípios, quais eram inquestionáveis para sua educação. Assim, ao passar do tempo, ele acompanhava Shunji, que começava dar seus passos para fazer crescer a grande Jacto.

Dentro da empresa, ele pode desenvolver o senso para construção de equipe juntamente com seus irmãos. Em busca da integridade do comando, com 35 anos, ele se tornou presidente da diretoria e passou por grandes desafios na administração.

Mas, para superá-los, Jiro, contou com algo intrínseco em sua vida, os valores. Palavra forte dentro da Jacto, ele pode fazer parte e construir valores fixos e importantes como “Ninguém cresce sozinho” e “Cliente feliz”.

Com 77 anos, Nishimura dá uma aula sobre valores, princípios e empreendedorismo. Seu conhecimento é valioso e ainda muito vivo para empresas e para a vida.

A humildade que ele transparece em suas palavras é o resultado de uma criação familiar que deixava explícito valores primordiais na sociedade.

Nos dias atuais relatos como esse são raros e apesar de novos tempos, a sabedoria para crescer levando em primeiro lugar seus valores e a construção de uma organização empresarial impecável, devem estar presentes em todas as gerações.

1º sucessor de seu pai, Jiro Nishimura, é uma lenda que carrega ensinamentos para a vida. Seu legado deve ser transmitido para que empresas e pessoas possam crescer com sabedoria.

Seu segredo de vida pode ser resumido em: princípios e valores concretos somado à trabalho, trabalho, trabalho.