A safra brasileira de grãos colhida em todo o ano de 2020 deverá alcançar o recorde de 251,7 milhões de toneladas, de acordo com projeção divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (10).

Segundo o levantamento, a expectativa é de que a soja e o café atinjam no ano seus patamares mais altos de produção na série histórica do IBGE.

A produção de soja deve totalizar 121 milhões de toneladas, o que representa aumento de 6,6% em relação à safra do ano anterior.

Já para o café, a estimativa é de 3,6 milhões de toneladas, ou 59,6 milhões de sacas de 60 kg, crescimento de 19,4% em relação a 2019.

O milho não deve bater recorde na série histórica, que foi em 2019, mas está bem perto disso (360 mil toneladas a menos). A expectativa é que sejam colhidas 100 milhões de toneladas.

O levantamento desta quinta segue em linha com o divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A diferença é que o levantamento da Conab leva em conta o calendário de safra, que começa no segundo semestre de um ano e termina no início do segundo semestre do ano seguinte. Já o IBGE considera o que é produzido nos 12 meses do ano.

Arroz

A soja, o milho e o arroz são os três principais produtos da safra nacional de grãos, que, somados, representam 92,3% da estimativa da produção e respondem por 87,2% da área a ser colhida.

Para o arroz, é esperado um acréscimo de 7,2% na produção, totalizando 11 milhões de toneladas do cereal.

Cabe destaque ainda para o trigo, cuja estimativa de produção encontra-se 38,0% maior que a do ano passado, totalizando 7,2 milhões de toneladas, embora tenha sido reduzida em 2,1% em relação ao que era esperado no mês anterior. A região Sul deve responder, em 2020, por 90,0% da produção tritícola nacional.

Fonte: G1